Pages Navigation Menu

SINAIS DO TRABALHO DE PARTO

FONTE – DIÁRIO CATARINENSE

Maternidade30/03/2013 | 07h12

Sinais que indicam que a gestante está começando o trabalho de parto

Atente para qualquer mudança, contração frequente, perda de líquido ou sangramento

Sinais que indicam que a gestante está começando o trabalho de parto roli seeger/Stock.xchng

A gestante deve ir ao hospital quando as contrações durarem 30 segundos ou mais, com cinco minutos de intervalo entre elas, por pelo menos uma hora Foto: roli seeger / Stock.xchng
Tem gestante que sente exatamente quando a hora em dar à luz está chegando. No entanto, há quem confunda o estágio inicial do trabalho de parto com sintomas como gases, azia, dor lombar, indigestão ou diarreia. Compreender as diversas mudanças que ocorrem no corpo de uma grávida e os sinais que indicam que o nascimento do bebê está próximo pode ajudar a mulher a se preparar para o parto e ter uma experiência saudável. Segundo Erica Mantelli, ginecologista e obstetra, o trabalho de parto ocorre, gradualmente, podendo levar horas e até dias, até que a gestante perceba que as sensações fazem parte do início do nascimento do bebê.
— À medida que o parto se aproxima, o corpo da gestante sofre mudanças, uma delas é a eliminação do tampão mucoso pela vagina. É uma secreção gelatinosa branca que pode ter um pouco de sangue e ficar avermelhada ou marrom. O tampão mucoso está associado ao afinamento do colo do útero e início da dilatação. Isso pode ocorrer dias antes das contrações começarem — explica.
É importante destacar que ao entrar em trabalho de parto, a gestante sente contrações no abdome e nas costas que vão se tornando dolorosas, frequentes e intensas. A partir do sétimo mês já é possível sentir algumas contrações uterinas, porém são mais fracas, rápidas e demoram para se repetir, diferentemente das contrações do trabalho de parto. A melhor maneira de se certificar de que essas contrações sinalizam o início do trabalho de parto e não um alarme falso, é cronometrá-las.
— Marque os horários em que as contrações começam e quanto tempo duram, monitore-as por duas horas. Se ela não avançar ou der uma pausa, comece 0a cronometrar novamente para notar se houve alguma mudança. As contrações merecem mais atenção quando tiverem duração de 30 segundos com intervalos de cinco minutos entre elas — detalha a ginecologista.
O trabalho de parto é diferente em cada mulher. Algumas gestantes notam os sintomas rapidamente, enquanto outras demoram a sentir contrações. Para aquelas que estão passando pela situação pela primeira vez, o trabalho de parto costuma durar até 16 horas. Já na segunda gestação esse período fica em torno de 7h ou 8h. A dor e o cansaço sentidos no trabalho de parto também variam entre as gestantes. Por isso, é importante a futura mamãe não criar expectativas a partir de comentários de outras gestantes. Identificar os principais sinais do trabalho de parto serve de alerta e ajuda a grávida a perceber se é o momento certo de ir para o hospital.
A seguir, os principais sinais que indicam o começo do trabalho de parto:
• Colo do útero O colo torna-se cada vez mais fino, amolecido, e dilata em até 10 centímetros.
— Essa mudança do colo do útero pode ser comprovada por meio do exame de toque feito pelo obstetra — ressalta a ginecologista. Para diagnosticar trabalho de parto o colo tem que estar mais fino e acima de 3 – 4 cm de dilatação. Durante o trabalho de parto a dilatação aumenta cerca de 1 cm por hora.
• Contrações Elas acontecem em intervalos regulares e cada vez menores, tornando-se mais longas e intensas. A gestante deve ficar atenta para não confundir as contrações de trabalho de parto com as de Braxton Hicks.
— É normal sentir dificuldade na hora de diferenciar uma contração verdadeira do alarme falso. As contrações que não dilatam o colo uterino são conhecidas como trabalho de parto ‘falso’. Já as verdadeiras são mais demoradas, fortes e têm intervalos menores entre elas — diz Erica Mantelli.
Durante o trabalho de parto as contrações duram em média 30 – 40 segundos, com frequência de 2 – 3 contrações a cada 10 minutos.
• Dores no corpo A gestante sente uma dor constante na parte inferior das costas ou no abdome, ficando mais forte conforme aumenta a dilatação.
• Saída do tampão mucoso No final da gestação, o colo começa a dilatar e ficar fino, causando a perda do tampão mucoso. A partir disso, a mulher irá notar a saída de uma secreção de muco amarronzado ou avermelhado.
— Isso mostra que o trabalho de parto está se aproximando. Geralmente, a gestante entra em trabalho de parto após ocorrer a saída dessa secreção — afirma Erica Mantelli.
• A bolsa rompeu Isso indica a ruptura das membranas conhecida como bolsa d’água, onde fica o líquido amniótico.
— Quando a bolsa se rompe, a gestante não sente dor, apenas a sensação de uma água morna escorrendo pelas pernas, podendo ser confundido com urina. A diferença é que o líquido amniótico é transparente como água, e em algumas situações pode estar esverdeado (se o bebê tiver evacuado, podendo ser sinal de sofrimento fetal). Normalmente, a mulher perde meio litro de água, mas a quantidade depende se a bolsa rompeu por completo. Em casos de rupturas altas, a perda de líquido pode ser pequena, apenas suficiente para umedecer a calcinha, sem escorrer — explica a ginecologista.
Qualquer perda de líquido deve ser avaliada pelo obstetra, para identificar se não é líquido amniótico ou corrimento vaginal. A coloração do líquido amniótico é muito importante para demonstrar se o bebê está bem ou não, então procure médico o quanto antes. Vale destacar que nas últimas semanas de gestação, é comum ocorrerem contrações irregulares e indolores, sem que isso signifique o início do trabalho de parto.
* Quando é hora de ligar para o médico?

Não hesite em ligar para o obstetra ao notar qualquer mudança, contração frequente, perda de líquido ou sangramento, principalmente se for antes de completar a 37ª semana de gestação. É importante tirar todas as dúvidas em relação às contrações para identificar se a hora do parto está próxima.
— Alerte seu médico ao sentir um aumento na pressão pélvica, apresentar sangramento vaginal e/ou secreção abundante ou notar diminuição acentuada no nível de atividade do bebê — alerta a médica.
A gestante deve ir ao hospital quando as contrações durarem 30 segundos ou mais, com cinco minutos de intervalo entre elas, por pelo menos uma hora.

DIÁRIO CATARINENSE